Nascido em Alba, na Itália, em 1970, Davide Oberto mudou-se para Turim em 1989, onde estudou Filosofia, Ciências Humanas e História do Cinema na Universidade de Turim. Em 1999, começa a colaborar com o Torino Film Festival, onde, em 2005, torna-se curador das competitivas italianas (curtas-metragens e documentários). Três anos depois cria uma nova seção dedicada a documentários internacionais, na tentativa de apresentar os mais interessantes e relevantes filmes a partir de uma perspectiva cinematográfica muito singular na Itália: TFFdoc. De 2002 a 2009, foi programador do Festival LGBT de Turim, “De Sodoma a Hollywood”, onde também programou algumas retrospectivas. Em particular as dedicadas a Fassbinder, ao cinema queer no mundo árabe, ao spaghetti western, e a mostra “J-Ender: Big Bang Love in Japan”, além de tributos a Alain Guiraudie e Adolfo Arrieta. De 2015 a 2018, foi diretor do Doclisboa com Cíntia Gil. Ainda colabora com o Doclisboa, curando para a edição de 2019 a retrospectiva dedicada a Jocelyne Saab.