Convidados

ANKE PETERSEN |ALEMANHA 
Produtora executiva de filmes comerciais de alta qualidade para instituições e produtoras internacionais. Há mais de quinze anos, é uma das principais produtoras da premiada empresa Tony Petersen Film GmbH, sendo responsável pela produção de filmes criativamente ambiciosos. Em 2012, produziu seu primeiro documentário, Calle del Arte, em coprodução com ZDF/Arte, e a partir de então fundou sua própria produtora, Jyotifilm, com foco em temas sociais. Em 2016, lançou a Little Big Bang, uma subsidiária da Tony Petersen Film GmbH, para produzir todos os tipos de conteúdo.

ANNABELLE ARAMBURU | ESPANHA 
No setor da indústria audiovisual, Annabelle Aramburu é responsável pela organização de eventos de coprodução e mercado. Coordenadora da Mafiz, a área de indústria do Festival de Cinema de Málaga, que inclui seiseventos: sessões espanholas, Maff(Málaga Fund & Coproduction Event), Foco Latino-americano, Málaga Talent, Málaga Work in Progress & Málaga Doc. Diretora da Filmar, zona da indústria audiovisual da Argentina. Coordenadora da Incubadora, programa criado pelo Incaa, da Argentina, para a internalização de projetos de desenvolvimento. 

AONAN YANG | CANADÁ 
Premiado produtor e realizador. Esteve entre os produtores canadenses em destaque no Festival de Cannes 2019, foi aluno da TAP e do Tiff Talent Lab. Atualmente desenvolve múltiplos projetos de coprodução em países como Canadá, China, Alemanha e França. . É membro fundador da GreenGround Produções e da CineGround Media – esta última é um hub de empréstimos de câmeras digitais e pós-produção que atende à cena de filmes independentes em Montreal e no exterior, proporcionando uma alavancagem interessante para coproduções internacionais.

CECILIA SALIM | ARGENTINA
Estudou produção cinematográfica na Enerc (Escola Nacional de Experimentação e Realização Cinematográfica da Argentina). Participou do Talent Campus Buenos Aires, do Laboratorio de Cine UTDT e da Berlinale Talents em 2015 e 2016. Em 2014, juntamente com Georgina Baisch, fundou a Murillo Cine. Produziu os filmes El Futuro Perfecto, de Nele Wohlatz, ganhador do Leopardo de Ouro para o Melhor Filme de Estreia no Festival de Locarno (2016), e El Motoarrebatador, de Agustín Toscano, que estreou na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes (2018). Coproduziu Ceniza Negra, de Sofía Quirós, que estreou na Semana da Crítica de Cannes (2019).

   DAVID HURST | FRANÇA 

Nascido em 1975, David Hurst estudou História na Universidade de Bordeaux antes de trabalhar como produtor de locações e diretor de produção por 12 anos, em um grande número de filmes na França. Mudou-se para Nova Yorkpor doisanos e viajou intensamente pelos Estados Unidos. Entrou na Dublin Films em 2011 e atualmente é o CEO da empresa e seu principal produtor. Dedica-se a uma linha editorial forte e luta pela diversidade cultural. É apaixonado por apoiar talentos emergentes e fomentar o cinema independente ao redor do mundo, especialmente na América Latina.

  DAVIDE OBERTO | ITÁLIA 
Em 1999, começa a colaborar com o Torino Film Festival, onde, em 2005, torna-se curador das competitivas italianas (curtas-metragens e documentários). Três anos depois cria uma nova seção dedicada a documentários internacionais, na tentativa de apresentar os mais interessantes e relevantes filmes a partir de uma perspectiva cinematográfica muito singular na Itália: TFFdoc. De 2002 a 2009, foi programador do Festival LGBT de Turim, De Sodoma a Hollywood, onde também programou algumas retrospectivas. Em particular as dedicadas a Fassbinder, ao cinema queerno mundo árabe, ao spaghetti western, e a Mostra J-Ender: Big Bang Love in Japan, além de tributos a Alain Guiraudie e Adolfo Arrieta. De 2015 a 2018, foi diretor do Doclisboa com Cíntia Gil. Ainda colabora com o Doclisboa, curando para a edição de 2019 a retrospectiva dedicada a Jocelyne Saab.
  EDUARDO VILLALOBOS | CHILE
Comunicador audiovisual graduado em Estética, produtor executivo de filmes como Sentados Frente al Fuego, Matar a un Hombre, Mala Junta, entre outros trabalhos que o vinculam com a indústria cinematográfica. Além disso, foi presidente da Associação Acorabiobio e também membro do Conselho da Arte e da Indústria Audiovisual no Chile. Foi professor e diretor da graduação em Comunicação Audiovisual na Duoc UC. Atualmente é diretor da área de Formação e Indústria do festival Biobiocine, com o objetivo de fomentar o crescimento da indústria local, promover a cultura e impulsionar novos talentos.
  FAISSOL GNONLONFIN | BENIN/FRANÇA 
Cineasta beninense, Faissol Gnonlonfin cursou um Master 2 em Informação e Comunicação – Criação Documental, Opção Produção, na Universidade Stendhal de Grenoble III/Escola de Documentário de Lussas, na França. Após essa formação, continuou sua produção dinâmica de obras audiovisuais e cinematográficas e tem sido apontado como um dos melhores valores para o cinema africano. Em 2011, fundou a empresa Merveilles Production, que produz documentários, ficção e séries de televisão. Tornou-se produtor executivo da VraiVrai Films (empresa francesa) em 2014, posteriormenteda Les Films du Djabadjah (empresa de Burkina Faso) em 2015. Nos últimos dois anos, tem desenvolvido obras audiovisuais e cinematográficas de jovens diretores e roteiristas africanos. Também trabalha com produção executiva e gerenciamento geral para filmagens de longas-metragens na África Subsaariana. Essas produções foram premiadas em vários festivais internacionais e receberam inúmeros prêmios.
 

GABRIELA AZEVEDO | BRASIL 
Jornalista formada pela PUC-Rio. Atualmente trabalha na área de Projetos e Conteúdo do Canal Brasil, negociando contratos de coprodução, avaliando pilotos e analisando roteiros.

 

  IVETTE LIANG | COLÔMBIA/CUBA 
Atualmente dirige a Cátedra de Produção da EICTV-Cuba. Desde 2013, está radicada na Colômbia, sendo sóciafundadora da empresa de produção de cinema e formação Galaxia 311 SAS, na qualatua como gerente e produtora executiva. Filmografia: Atarraya (2019), La Venganza de Jairo (2019), La Mujer de los Siete Nombres (2018), La Defensa del Dragón (2017), Sharing Stella (2016), Sady González: Una Luz en la Memoria (2015), Venecia (2014), Jirafas (2014), Los Anfitriones (2012), Ventana de Tiempo (2019), Dos de Terciopelo (2019). 
 

JANAÍNA OLIVEIRA | BRASIL
Pesquisadora e curadora, Janaína Oliveira é doutora em História, professora no IFRJ (Instituto Federal do Rio de Janeiro –Campus São Gonçalo), e Fulbright Scholar no Centro de Estudos Africanos na Universidade de Howard, em Washington DC, nos EUA.  Atualmente é curadora do Encontro de Cinema Negro Zózimo Bulbul (RJ) e do Fincar (Festival Internacional de Realizadoras / PE). É também consultora de filmes da África e da diáspora negra para o Festival Internacional de Locarno (Suíça). Faz parte da Apan (Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro). É idealizadora e coordenadora do Ficine, Fórum Itinerante de Cinema Negro (www.ficine.org) e será programadora do Flaherty Film Seminar (EUA) em 2020.

 

LEILA BOURDOUKAN  | BRASIL 
Produtora cultural e jornalista.De 1999 a 2016 trabalhou para o grupo Espaço de Cinema, criando, desenvolvendo e produzindo projetos culturais de difusão através da exibição, como Clube do Professor, Ações Culturais, Curta às Seis, Curta no Cinema. Na Ciranda de Filmes foi responsável pela pesquisa, convite e produção de filmes (brasileiros e estrangeiros). Na Mostra Internacional de Cinema São Paulo fez pré-seleção de filmes durante três anos. E também já foi júri de curtas e fez parte de comissão de seleção de filmes para festivais no Brasil e de projetos de cinema para editais públicos do Estado de São Paulo e Bahia. De maio de 2017 a abril de 2018 foi a gerente executiva do Cinema do Brasil, programa de promoção ao cinema brasileiro no exterior patrocinado pela Apex. Em julho de 2018 criou, com Patricia Durães e Ana Durães, a Dito Agência de Cinema, produtora de lançamento de filmes que busca caminhos diferentes no trajeto até o cinema. Também desde 2018 é consultora de relações internacionais da nova distribuidora Arteplex Filmes (do grupo dos Cinemas Itaú).

  LUIS GONZÁLEZ ZAFFARONI | BRASIL/URUGUAI
Diretor executivo do DocMontevideo, Encontro das Emissoras Latinoamericanas de Televisão–espaço de formação, mercado e networking (2009-2018). Organizador do DOCSP –Encontro Internacional de Documentários de São Paulo (2015-2018). Membro do Conselho Consultivo da Rede de Emissoras Latino-americana – TAL (2010-2017). Diretor da Associação de Produtores de Uruguai (2014-2015). Coordenador da convocatória de documentários latino-americanos,Visor América Latina,pela cadeia Al Jazeera (2011-2014). Assessor de conteúdo pela TevéCiudad, TV pública de Montevidéu (2012-2013). Jurado,consultor de financiamento e de festivais de cinema: CNTV (Chile, 2010), Incaa (Argentina, 2011), Icau (Uruguai, 2011), Fidocs (Chile, 2011), DOCSDF (2011), DocTVLatinoamérica (2013), Proimágenes (Colômbia, 2013), Fona (Uruguai, 2014), Festival de Cinema de Cartagena (Colômbia, 2016), MiradasDoc (Espanha, 2017), BAM (Colômbia, 2017). Mestre em Documentário Criativo pela Universidade Pompeu Fabra (Espanha, 2006-07). Mestre em Empreendedorismo pela Universidad Complutense de Madrid (Espanha, 2014). Formado na Escola de Cinema do Uruguai (1995-1999).
 

MARIA CAMPAÑA RAMIA | BRASIL/EQUADOR
Curadora e documentarista equatoriana. Atua como programadora associada no IDFA, na Holanda. É também membro da equipe de programação do festival de documentários Ambulante, no México, e assessora do festival Encuentros del Otro Cine, Edoc, no Equador, onde foi diretora artística por dez anos. Tem organizado retrospectivas e programas temáticos, como a Mostra Retratos de Família, realizada no Instituto Moreira Salles. Coeditou o livro El otro cine –Eduardo Coutinho, a primeira publicação em espanhol dedicada exclusivamente ao trabalho do cineasta brasileiro. Em 2015 dirigiu o curtadocumentário Derivadas. Escreve sobre cinema e outros assuntos para revistas e jornais internacionais. Mora no Rio de Janeiro.

 

MARIANA COELHO | BRASIL
Produtora, formada em Cinema pela UFSC e em Produção Publicitária pela UNIVALI, e pós graduada em Marketing Digital pela FAAP. Iniciou sua carreira como produtora em 2008 em Florianópolis onde trabalhou na organização de diversas edições da Mostra de Cinema Infantil e assumiu a função de Diretora de Produção de curtas-metragens. Também trabalhou no setor de exibição no cinema Paradigma Cine Arte e teve sua própria produtora, a Lab.Cultural. Em 2013 iniciou sua carreira na área de distribuição na Pandora Filmes como produtora de lançamento. No ano de 2015 trabalhou na implementação do projeto Circuito Spcine na área de programação, uma rede de cinemas públicos na cidade de São Paulo. No ano 2016 começou a trabalhar na produtora de cinema RT FEATURES como coordenadora de comercialização dos projetos nacionais. No ano de 2018 assume o cargo de produção executiva dos projetos nacionais da produtora e assina a produção executiva do A Vida Invisível de Karim Aïnouz, premiado como melhor filme na mostra Un Certain Regard no Festival de Cannes 2019.

  NEUZA BAGORRO | FRANÇA 
Nascida e criada em Portugal, Neuza Bagorro mudou-se para Paris em 2011, para cursar um Mestrado em Filosofia Contemporânea e Estudos de Cinema. Durante os últimos anos, fez vários estágios em vendas, festivais e distribuição. Desde 2017, entrou para a Epicentre Films, uma produtora e distribuidora de filmes de arte independentes sediada na França, para trabalhar nos departamentos de aquisições e produção. 
  NIDIA SANTIAGO | FRANÇA
Fundou a Ikki Films em junho de 2011, na qualproduz e coproduz filmes com forte potencial internacional. Entre suas produções, podemos encontrar os títulos: Oh Willy…, de Emma de Sweaf e Marc Roles; Chulyen, a Crow’s Tale, de Cerise Lopez e Agnes Patron (Emile Awards 2017); Gusla or the Spirits, de Adrienne Nowak (Slamdance 2018); Lupus, de Carlos GomezSalamanca (Annecy 2017); Negative Space, de Ru Kuwahata e Max Porter (Prêmio Fipresci em Annecy, 2017, Grand Prix no Animamundi, 2017, indicado ao Oscar em 2018); Riviera, de Jonas Schloesing (Grand Prix no Festival Regard, 2019)eSick Sick Sick, de Alice Furtado (longa-metragem coproduzido com Estúdio Giz e Baldr,selecionado para a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes em 2019).
   PABLO IRAOLA | PORTUGAL
Nasceu em Buenos Aires, no seio de uma família de exibidores de cinema. Fez carreira acadêmica na engenharia, mas a paixão pela sétima arte acabou por falar mais forte. Em 2001 juntou-se à Patagonik Film Group comodiretor comercial, tendo sido responsável pela estreia de mais de 25 título na América Latina, tanto filmes de autor como sucessos de box-office. Em 2008 mudou-se para Portugal e um ano depois fundou, em conjunto com Pandora da Cunha Telles, a produtora de cinema e televisão Ukbar Filmes, com a qual já produziu dezenas de projetos e participou nos principais festivais nacionais e internacionais. Está regulamente presente em feiras e mercados de audiovisual e participa frequentemente como orador em fóruns de produção (Guadalajara e San Sebastian).Paralelamente à Ukbar Filmes juntou-se a Eliane Ferreira na Muiraquitã Filmes, produtora sediada no Brasil. Desde 2017 é tutor da Bienalle College de Cinema (Veneza) e todos os anos é convidado para dar palestras no Mestrado de Cinema da Universidade Carlos III, em Madri. Já foi júri do festival de San Sebastian e da Mostra de São Paulo, além de ter integrado o comitê de seleção do Festival Internacional de Guadalajara. É membro da European Producers Club, da European Film Academy e da Academia Portuguesa do Cinema.
  PAULA MUNIZ | BRASIL 
Formada em Comunicação Social pela PUC-RJ, especializada em Produção Executiva em TV & cinema pela ESPM-RJ e em Roteiro e Gêneros de Fição nos seminários de Robert McKee, Paula Muniz atua como coordenadora artística e de conteúdo no canais GNT, Viva e +Globosat desde 2006, sendo responsável por elaborar, selecionar e supervisionar novos projetos nacionais tanto de ficção como nãoficção para TV e WEB. Ela coordenou mais de 40 séries de nãoficção e cerca de seisproduções de ficção, incluindo As Canalhas, formato comprado pela Hulu. Paula também foi, de 2003 a 2010, a editoraexecutiva do Manhattan Connection, primeiro programa a cabo da televisão brasileira, gravado na cidade de Nova York. Em 2018, ela coordenou dois programas especiais em parceria com a Yellow Shoes, ambos gravados em Walt Disney World Resort na Flórida.
  SANDINO SARAVIA VINAY | MÉXICO/URUGUAI  
Produtor cinematográfico radicado no México e no Uruguai. Seu nome pode ser visto nos créditos de filmes como O Banheiro do Papa, de Enrique Fernández& César Charlone (selecionado para a Mostra Un Certain Regard do Festival de Cannes, 2007), Água Fría de Mar, de Paz Fábrega (Tiger Award no Festival de Roterdã, 2010), Un Monstruo de Mil Cabezas, de Rodrigo Plá (filme de abertura da mostra Orizzontido Festival de Veneza, 2015), Boi Neon, de Gabriel Mascaro (Prêmio Especial do Júri na mostra Orizzontido Festival de Veneza, 2015), Pájaros de Verano, de Cristina Gallego e Ciro Guerra (filme de abertura da Quinzena dos Realizadores de Cannes, 2018), Roma, de Alfonso Cuarón (trêsOscars: Diretor, Fotografia e Melhor Filme em Língua Estrangeira) e Divino Amor, de Gabriel Mascaro (World Dramatic Competition do Festival de Sundance, 2019), entre outros. Atualmente é sócioprodutor na Cinevinay (México) e na Malbicho Cine (Uruguai).
  THIERRY PERRONE | BRASIL
Titular de um MBA pela École de Management de Lyon (EM Lyon Business School), com mais de 30 anos de experiência em investimentos no setor de mídia e entretenimento, Thierry administrou mais de U$ 500 milhões no mercado audiovisual europeu. De 1990 a 1994, foi diretor do Departamento Audiovisual do Banque de la Cité (BNP Paribas), responsável pelas operações de crédito e pela administração de fundos de investimento. De 1994 a 1997, foi diretor do Banque OBC (ABN Amro), responsável por operações de crédito, fusões, aquisições e investimentos no setor audiovisual. No Brasil desde 2001, participou, a pedido do governo brasileiro, da criação e regulamentação dos Fundos de Financiamento da Indústria Cinematográfica Nacional – Funcines, cujo modelo é baseado nas Sociétés pour le Financement de l’Industrie Cinématographique et Audiovisuelle (Sofica), fundos franceses de investimento em produções cinematográficas e audiovisuais. Em 2008, Thierry fundou a Investimage Asset Management, a primeira gestora brasileira focada exclusivamente no mercado de mídia e entretenimento, tendo captado e gerido de R$ 100 milhões.